DestaqueLimeiraPolitica

Câmara aprova três projetos em sessão ordinária protagonizada por mulheres 

“A política é melhor quando temos mais diversidade”, defende deputada Marina Helou na tribuna do Legislativo limeirense 

Três projetos foram aprovados nesta segunda-feira, 11 de março, em uma sessão ordinária protagonizada por mulheres. Como forma de prestigiar as parlamentares da Casa, ainda em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, o presidente da Câmara, vereador Everton Ferreira (PSD), passou a presidência dos trabalhos para a vice-presidente, Isabelly Carvalho (PT). Terezinha da Santa Casa (PL) completou a Mesa Diretora, acompanhada da primeira e segunda-secretária, Lu Bogo (PL), e Tatiane Lopes (Podemos). Todas as propostas aprovadas são de autoria das vereadoras do Legislativo limeirense. 

A deputada estadual Marina Helou (Rede) esteve na Câmara durante a sessão e usou a tribuna para falar que a representatividade feminina na política é indispensável. Ela elogiou Limeira, citando que a cidade é um exemplo no estado, com seis vereadoras. “É muito importante ver vocês ocupando esse espaço, porque isso transforma a realidade para todo mundo. Numa democracia representativa a gente precisa ver a demografia da sociedade representada na política”, defendeu. A parlamentar citou estudos estabelecendo que as democracias que possuem mais equidade de gênero, têm melhores taxas de educação e menores taxas de violência contra a mulher e de mortalidade infantil. “A política é melhor para homens e mulheres quando temos mais diversidade”, concluiu. 

Confira o teor completo do discurso neste link

Tribuna Livre  

A Tribuna Livre, momento da sessão destinado ao uso da palavra por munícipes para falar sobre assuntos de interesse da cidade, também foi pautada pelo feminino. Mara Jaqueline de Oliveira falou sobre o Coletivo Roda de Saia, um grupo de mulheres criado a partir de uma conversa que ela teve com a avó paterna. 

Segundo Mara, por meio daquela conversa percebeu o quanto o poder de escolha e liberdade que ela fazia jus era proveniente da luta de sua avó e de suas antepassadas. A oradora afirmou que entendeu que temas como sororidade e rede de apoio, tão usados na atualidade, já existiam na antiguidade. “O termo comadre, ou comadriu não era uma relação pejorativa, mas sim uma importante rede de apoio e graças àquela rede é que eu, minhas primas e as gerações mais novas estavam podendo escolher com mais liberdade, estudar e sermos donas de nós mesmas”.  

A representante do Coletivo destacou que as diferenças na educação de meninos e meninas refletem no contexto social e acarretam em conceitos machistas que determinam como as mulheres devem se comportar. “A naturalização da diferença entre meninos e meninas acaba por criar uma cultura de subalternização”, pontuou.   

A oradora também citou dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) sobre as diferenças salariais entre homens e mulheres, falou que as mulheres estudam em média oito anos a mais que os homens e ainda assim têm dificuldades em se colocar em cargos de destaque. Outro dado apontado por Mara foi em relação à segurança pública, segundo ela, em 2021 foram relatados 1.463 casos de feminicídios no Brasil, equivalente a um caso a cada seis horas. “Lutamos por igualdade de direitos. Não é uma luta de mulheres contra homens”, concluiu. 

As falas podem ser conferidas na íntegra neste link

Confira como foi a votação 

Aprovado - Projeto de Lei Nº 49/2022, da vereadora Lu Bogo (PL), altera a Lei Municipal Nº 6.346/2020 para dar mais transparência e acessibilidade à informação com a divulgação do cronograma de serviços prestados pela zeladoria urbana. 

Aprovado - Projeto de Resolução Nº 8/2022, da vereadora Terezinha da Santa Casa (PL), institui, no âmbito da Câmara Municipal de Limeira, o Diploma de Gratidão “Amigo(a) dos Animais” para contemplar pessoas, entidades ou empresas estabelecidas em Limeira. 

Aprovado - Projeto de Lei Nº 151/2022, da vereadora Mariana Calsa (PL), cria a Política Municipal de Navegação de Paciente para portadores de neoplasia maligna de mama. 

Adiado - Projeto de Lei Nº 64/2023, da vereadora Tatiane Lopes (Podemos), cria o “Projeto Pomar Urbano” em áreas públicas de Limeira. 

Adiado –Projeto de Lei Nº 113/2023, da vereadora Constância Félix (PDT), institui o “Dia Municipal do Trabalhador da Educação”, a ser comemorado, anualmente, no dia 15 de outubro de cada ano, como forma de ressaltar o papel fundamental que desempenham na construção de uma sociedade mais justa, igualitária e com oportunidades dignas para todos os cidadãos. 

Foto: Fernando Orlandin / Câmara Municipal de Limeira