Destaque

Limeira é destaque nacional em ranking de saneamento básico

BRK Ambiental comemora o resultado obtido a partir das melhorias implantadas na gestão dos serviços de água e esgoto da cidade

Na última semana, a Associação Brasileira de Engenharia Sanitária (ABES), lançou a edição 2020 do Ranking ABES da Universalização do Saneamento. A pesquisa avalia o percentual dos municípios brasileiros com acesso aos serviços de saneamento básico, que engloba abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto, além da administração adequada dos resíduos sólidos.

Limeira, mais uma vez, revelou-se em destaque na listagem, alcançando a pontuação total de 491,06, em 500 pontos possíveis. A classificação é resultado do trabalho da BRK Ambiental que já investiu cerca de R$ 500 milhões na cidade, tornando o município referência no controle de perdas da água. Em 2019, a cidade fechou com um índice de 15,5%, sendo que a média nacional é de 38,4%.

A pesquisa avalia 1.857 municípios brasileiros que fornecem dados ao Sistema Nacional de Informações de Saneamento (SNIS) para o cálculo de cinco indicadores: abastecimento de água; coleta de esgoto; tratamento de esgoto; coleta de resíduos sólidos; e destinação adequada de resíduos sólidos. Além disso, a análise relaciona o saneamento à saúde e faz uma correlação entre a pontuação total alcançada pelos municípios e a taxa de internação por doenças relacionadas ao saneamento ambiental inadequado.

Limeira integra um seleto grupo de cidades que possuem um Plano Municipal de Saneamento Básico e, no ranking, tem seus serviços classificados na categoria “Rumo à universalização”, de maior pontuação.

“Estamos felizes com o resultado, pois demonstra que o trabalho planejado, em parceria com o município, nos 25 anos de concessão dos serviços em Limeira, tem contribuído com a evolução do saneamento básico e, consequentemente, promovido mais saúde à população, garantindo lugar de destaque para Limeira no cenário nacional”, afirma Fernando Mangabeira, diretor da BRK Ambiental em Limeira.

Com dados de 2018 utilizados no estudo, o Ranking ABES da Universalização do Saneamento traz Limeira com 97,02% alcançados no abastecimento de água; 97,02% na coleta de esgoto e 100% no tratamento de esgoto. Isso equivale a 100% da população urbana do município, área de concessão da BRK Ambiental.

Em coleta de resíduos sólidos a cidade apresenta 97,02% e 100% de destinação adequada ao material recolhido.

O diretor de operações da BRK Ambiental, Rodrigo Dias, destaca que esses números seguem evoluindo com as obras de modernização do Sistema de Abastecimento de Água e do Sistema de Esgotamento Sanitário. “Mesmo com o abastecimento de água e a coleta e o tratamento de esgoto universalizados na área urbana, seguimos investindo em melhorias e ampliações. Atualmente, estamos implantando um sistema de Tratamento de Lodo na Estação de Tratamento de Água (ETA) da cidade e, inovando com a implantação de um sistema de tratamento de esgoto em nível terciário, na principal Estação de Tratamento de Esgoto do município, a ETE Tatu, responsável pelo tratamento de cerca de 80% do esgoto coletado em Limeira”, informa.

Metodologia do Ranking ABES

Divididos em municípios de grande porte (acima de 100 mil habitantes) e de pequeno e médio porte (abaixo de 100 mil habitantes), a análise abrange 1.857 municípios brasileiros, o que representa cerca de 70% de toda a população e mais de 33% dos municípios que forneceram dados ao Sistema Nacional de Informações de Saneamento (SNIS), indicador utilizado pelo Ministério das Cidades, com o ano de 2018 como referência.

Além da análise dos indicadores de abastecimento de água, coleta de esgoto, tratamento de esgoto, coleta de resíduos sólidos e destinação adequada de resíduos sólidos, o estudo relaciona os dados do saneamento à saúde e faz a correlação entre a pontuação total alcançada pelos municípios e a taxa de internação por doenças relacionadas ao saneamento ambiental inadequado.

No ranking, as cidades foram organizadas em quatro categorias: “rumo à universalização” (489 a 500 pontos), “compromisso com a universalização” (450 a 488 pontos), “empenho para a universalização” (200 a 449 pontos) e “primeiros passos para a universalização” (abaixo de 200 pontos).O estudo completo pode ser acessado na página da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária (ABES) na internet. O endereço é o https://abes-dn.org.br/